New Themes: Handmade, Untitled, and On a Whim

Publicado: 23/05/2013 por cacaretomiudo em Sem categoria

Add your thoughts here… (optional)

The WordPress.com Blog

Theme Thursday is here, and I’m excited to announce the three fantastic new themes we’ve wrangled for you this week.

Handmade is a beautiful retro-styled blogging theme for foodies and crafters, designed with love by the folks at Obox Themes. Focusing on an amazing attention to detail and gorgeous typography, everything in Handmade has had hours of attention poured into it. Tender, loving care would be an understatement. Handmade can be trusted to display your gallery and blog posts in the best way possible on a small screen. It works well across all screens whether that be tablet, PC or even mobile.

Read more about Handmade on the Theme Showcase,  or test drive it for yourself by going to Appearance → Themes in your Dashboard.

Untitled is a beautiful free theme for showcasing your photos and videos. Designed by one of our own — the talented Nate Schaumburg

Ver o post original 136 mais palavras

Anúncios

Éfeso

Publicado: 20/10/2011 por Gezz em Escola Bíblica

Olá Pessoas!

Domingo passado falamos de Éfeso, e da carta dirigida à igreja que ali se encontrava.  A carta elogia a igreja em alguns aspectos e a critica um ponto bem crucial, pois se não mudasse isso a igreja seria “fechada”(tirar-se-ia seu castiçal) Veja Ap. 2:1-7

É um texto curto. Para ler, é rápido =) A reflexão proposta foi a seguinte, será que podemos nos comparar a Éfeso? Será que perdemos o primeiro Amor?

Olhando para  a Igreja que eu sou, eu acredito que a crítica procede. Pois se eu não perdi o primeiro Amor, ocorre que eu nunca o tive então. O que talvez, seja pior.

Quanto a comunidade Vida Nova, eu também acho que procede, como o Edu disse de Éfeso, que houveram mestres/servos importantes que passaram por lá. Penso que na Vida Nova também, e que a igreja de uma certa maneira está bem ensinada. É só ver os pastores que passaram pela igreja, e os missionários da igreja. E as pessoas que estão aqui. Agora precisamos pensar se fazemos tantas coisas e deixamos de fazer outras por mera religiosidade que não religa com o divino ou se por Amor a Deus e às pessoas. Isso só você que faz parta da Vida Nova pode responder pela parte que você é da Vida Nova.

“Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras”

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus.”

Deus me ajuda e ajuda meus irmãos a ouvirmos o que o Espírito diz às igrejas.

Um abraço!

Paz!

Gessé Filho

Ps.: Próximo domingo aula sobre comunhão em conjunto, com café da manhã, começa às 10 horas. O café será servido durante a aula.

Revelação!

Publicado: 11/10/2011 por Gezz em Escola Bíblica

Olá pessoas!

Provavelmente não continuemos mais aqui, pois logo logo tentaremos abrir um espaço para isso no site da igreja. Mas enquanto isso não acontece.

 

Para quem não sabe essa semana começamos o “acalipse” como diria a trupe do TM.

Começamos no capítulo um! =) E mais algumas coisinhas básicas para nos ajudar a caminhar no estudo do restante do livro.  E o Edu perguntou qual era a nossa expectativa para essa caminhada.

Duas coisas me marcaram nesse início: O fato de o número sete poder ser visto como um símbolo de plenitude.

E o motivo que impulsionou o Edu a encarar esse desafio: Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
Apocalipse 1:3

O que eu espero desse estudo? Que Deus aumente nossa unidade, espero que esse estudo ajude a implementar o reino no nosso meio.

O próximo estudo terminará o cap. 1 se Deus quiser e vamos começar numerologia, soa estranho não é? hahaha Pois foi o que ele, Eduardo, disse.

Nos vemos domingo de manhã? Se Deus quiser =) !

 

Abraço pessoas!

Graça(como diriam os gregos)e Paz (como diriam os judeus)!

Ou GP como diria um amigo meu… =)

¡Hasta!

 

 

 

 

Menino, somos iguais!

Publicado: 25/09/2011 por Gezz em Atualidades

Olá Pessoas!

Como estão? Será que alguém responderá isso? hehehe

 

Das últimas vezes que tive vontade de escrever sobre algo no blog aqui, foi lá pela época do assassinato de algumas crianças por um moço no Rio de Janeiro, dentro de uma escola.

Agora em São caetano do Sul um menino atirou em professora e se matou.

Quanto ao caso do Rio de Janeiro, eu iria apenas falar que não vejo o assassino deste caso como alguém diferente. Afinal eu sou um assassino também! E se você olhar a esse texto e usar esse padrão você talvez se veja como um também.

Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus.
Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus”.
“Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’.
Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco! ’, corre o risco de ir para o fogo do inferno.
Mateus 5:19-22

Talvez você não acredite nesse padrão de Jesus, ache muito extremo, mas se acreditar dificilmente escapará desse Juízo. Bem, eu sou culpado!

E o caso desse menino, para mim, corrobora essa ideia de que não somos diferentes. Menino aplicado nos estudos, calmo e aparentemente sem nenhum problema grave. Pelas descrições da maioria dos conhecidos todos ficaram surpresos com uma reação dessas. Eu percebo que sou tão capaz de fazer algo assim como esse menino fez!

Por isso precisamos de um salvador, diariamente. Pecado não é brincadeira. E suas consequências podem ser irreversíveis. Sem Jesus com certeza serão. Com Jesus há esperança de mudarmos essas consequências!

Por isso oremos por essa família. Por essa comunidade(ele era atuante em uma igreja, por informações que tive ele era membro da 2ª IPI de SCS) Oremos pela escola. E pelo reino aqui na terra!

Se falei alguma besteira me corrijam!

Deus nos abençoe em oração!

‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’

Abraços!

Gessé Filho

 

Um olá do sofa =)

Publicado: 17/09/2011 por Gezz em Sem categoria

Como estão pessoas?

hà Alguèm aqui =) ?!

Ou saiu para passear!?

Lembrei do blog =)

E de escrever nele…

Bem assim que eu voltar a ativa eu escrevo algo melhor =)

 

Um abraço a todos!

 

Gessé Filho

Só para avisar =)

Publicado: 18/02/2011 por Gezz em Casa Rosa

Ola pessoas!

Solamente para avisar =)

Tem casa rosa hoje =) eu sei que talvez ninguém veja isso até a casa rosa mas tá avisado =)

abraço!

Até lá se Deus quiser!

Nascer e orar

Publicado: 24/01/2011 por Gezz em Sem categoria

Olá pessoas!

 

Como está o comecinho do ano?

Estou aqui a escrever pois mais uma vez me aconteceu aquilo, ouvir sobre a mesma coisa duas vezes no dia, e essa coisa é a oração.

Orar, obedecer e perseverar. Ontem também ouvi sobre nascer de novo.

 

Não sei para vocês mas esses dias de começo de ano e se Deus quiser o ano inteiro para mim será nisso, orar e nascer de novo. E Deus espera uma resposta minha nessas duas coisas, todo o dia!

 

É basicamente isso que quero dividir!

 

além de um abraço e uns beijinhos em quem quiser =) ehehe

Fiquem na Paz! Pela Graça!

 

Quatro histórias de natal

Publicado: 24/12/2010 por Gezz em Sem categoria

Olá!

Recebi isso hoje no e-mail…de uma amiga de Bauru, a Vivi…=)

Vou compartilhar…Um abraço pessoas!

Deus seja centro em nossas comemorações!

PARA QUEM JESUS NASCEU?

Para Zacarias

Havia em Israel um sacerdote já idoso. Diante das circunstâncias em que a história o apresenta, chego a pensar que estava mais cansado na alma que no corpo. Depois de muitos anos servindo a Deus em seus rituais sagrados, ainda carregava no coração a mágoa de não ter conseguido ser pai. Sua esposa, também já idosa, era estéril. Era mais um dia de trabalho no Templo, precisava interceder pela fé do povo, mas a sua já não existia, havia dado nó, não encontrava mais dentro de si o significado que todo aquele serviço representava, estava seco, sem fé. “Sabe lá o que não ter e ter que ter pra dar?”. Assim estava Zacarias e ou ele se tornava um cínico, que quanto menos crê mais cria imagens enganosas para ludibriar o povo, ou ele se esgotava, lutando em sua própria consciência para manter sagrado seu serviço enquanto lhe faltava energia.

Enquanto cumpria a tarefa sacerdotal, um anjo lhe apareceu e declarou que ele seria pai e que seu filho teria uma tarefa especial a cumprir, ser o sacerdote que anuncia a chegada iminente do Messias. O medo de se frustrar novamente exigiu que ele não alimentasse esperanças juvenis. Um filho? Sendo eu e minha esposa já velhos! Pensou e disse. Quando o coração perde a fé, perde também seu senso histórico, fica à deriva como se tudo o que nos acontecesse fosse pela primeira vez, como se ninguém mais sofresse no mundo, como se tudo se resumisse à nossa existência naquele momento, nos tornamos o centro do Universo. É geralmente assim, o sofrimento nos faz crer que somos o centro de tudo. É a alegria que nos faz sentir apenas parte de uma existência plena. Mal lembrava ele que isso já havia acontecido com o Pai da Fé, Abraão, e duvidou da profecia. Por isso foi abençoado com a melhor das disciplinas, deixar de falar. Que maravilhoso ser impedido de falar quando não se tem fé para crer no que se fala. Até o nascimento do filho, silêncio e expectativa.

Jesus nasce para pessoas assim, que perdendo a fé e sofrendo o esgotamento, precisa desesperadamente de novos olhos para enxergar as velhas circunstâncias. Nada melhor que os olhos da criança que ensinará a enxergar tudo como realmente é.

 

Para Isabel

Isabel era a esposa de Zacarias, aquela que não podia lhe dar um filho. Naqueles dias, mais ainda que em nossa cultura atual, uma mulher que não pudesse engravidar perdia completamente seu propósito na vida. Pode-se imaginar que ela acordava todas as manhãs sem saber para o quê levantar da cama. Deveria dizer pra si mesma: “não queria ter acordado hoje, queria ter morrido, a vida não tem sabor pra mim, o mundo não precisa de mim, meu esposo seria um homem mais feliz se tivesse se casado com outra pessoa. Sou uma vergonha para minha família. Vivi a vida toda e não fiz nada de relevante. Que legado deixarei para as próximas gerações? Nem serei lembrada um dia, por ninguém.”

Cada um de nós estabelece que precisa viver e experimentar alguns eventos durante a vida, sem os quais nada mais faz sentido. A sociedade, a Religião, a família dão conta de prover esse imaginário de metas a realizar a fim de que a vida tenha propósito, que vai desde nobres feitos a projetos de consumo.

Isabel precisava ser mãe de um filho nascido em seu ventre. O desejo torna-se obesessão, que é a doença que nos faz limitar toda a existência a uma única ausência. Há sempre muito mais disponível, mas apenas o que não há é o que passa a importar. Tudo o mais fica prejudicado, quando poderia ser a compensação pelo que não se tem.

Ela teve um filho, o João Batista, mas o Messias é seu primo, Jesus. A razão de tudo é Jesus. Isabel só teve o filho porque Jesus iria nascer. Deus não estava atendendo a um capricho, mas diminuindo a importância do que a obsessão projetava.

Jesus nasce para pessoas que precisam ser libertas da idolatria de seus desejos e sonhos, que precisam entender que a maior de suas realizações ainda será apenas coadjuvante do Deus menino.

 

Para Maria

Maria era uma menina, já noiva de um homem provavelmente mais maduro. Como toda menina daqueles dias sabia que o que lhe estava reservado era um bom casamento, ter filhos e cuidar dos seus. Feliz com a honradez de seu pai em lhe entregar a um bom homem, ela esperava o dia de seu casamento.

Um anjo lhe aparece e diz que ela ficará grávida e que terá um filho gerado por Deus. Como isso poderia ser, se ela ainda era virgem? Este milagre seria descomplicado apenas diante da situação. Ela teria de contar ao noivo e à família que estava grávida e ainda precisaria contar com o milagre de crerem na história. Por estar noiva, caso aparecesse grávida de outro homem, seria considerada adúltera e condenada à morte por apedrejamento.

Tudo lhe passa rapidamente pela cabeça. A vergonha dos pais, o rancor do noivo, o medo da morte. Talvez fosse melhor morrer a viver com o estigma de mulher sem vergonha.

E ela era só uma menina! Despreparada completamente para aquele filho! Ele chegou numa hora errada. Ela tinha tantos planos e aquela criança iria atrapalhar toda sua vida.

Muitas pessoas se sentem assim diante de uma gravidez inesperada. Todos os medos que uma mulher sente quando recebe uma notícia assim, estão previsto para Maria também. E ela decidiu aceitar o filho não como o causador de todos seus problemas a partir de então, mas como presente de Deus.

Filho é filho! É presente! É bênção! O restante é que precisa se acomodar. O mundo ao redor é que precisa mudar.

Jesus nasce para pessoas que precisam decidir se aceitam a vida como um presente ou como um problema. Especialmente Ele nasce através das pessoas que aceitam o desafio de viverem a vida como um presente, assim como Maria, que tendo obedecido a Deus e aceitado o desafio, abençoou a todos nós com seu filho. Deus conta com gente que aceita desafios para escrever sua história.

 

Para José

José era o noivo de Maria e depois de ouvir a história da moça toma uma difícil e importante decisão, perdoar. Não é fácil perdoar a mulher que ama sabendo ter sido traído por ela. Pois foi assim que José se sentiu. Ele não acreditou na história da gravidez espiritual, como já era de se esperar. Sentiu-se humilhado pela menina, além de traído. “Como ela pôde imaginar que eu acreditaria nessa história?”, pensou.

Decidiu então fugir, à noite, sem que ninguém pudesse notar. Fez isso por amor e por misericórdia, foi seu jeito de perdoar. Se no dia seguinte resolvesse exigir seus direitos, fatalmente o pai de Maria teria de apedrejá-la em praça pública. Era seu direito como noivo traído e dever do pai. Ao decidir fugir, ele pouparia a vida da menina e seria considerado responsável pela gravidez. Todos na cidade diriam que ele fora um abusador, que engravidara a moça e fugira para não assumir sua responsabilidade. Ela seria tratada como a vítima, já não mais correria risco de morte. Perdoar é assumir o ônus. José sabia que ao fugir, ficaria com a culpa de tudo. E perdoar também é libertar-se da opressão. Ele não queria o mal à moça, abriu mão de vingança, mas também não queria ficar com ela. Perdoar é não cobrar a conta, mas não é necessariamente reatar as relações. Eu posso esquecer o que alguém me fez, mas não preciso viver sob o mesmo teto.

Assim ele pensou, arrumou as malas e esperou a hora certa de partir. Então um anjo apareceu e confirmou a história da moça. José viu-se liberado em sua consciência de limpar sua honra, podia receber Maria como esposa, criar o filho como se fosse seu.

Jesus nasce para que as pessoas que precisam perdoar tenham a salvaguarda de que não serão mais agredidas quando perdoarem, pois sempre ganha quem perde e entrega sua causa a Deus.

Para estes e tantos outros, para nós, Jesus nasceu. Minha oração nesse Natal é que sejamos guiados pelos olhos do menino que tudo enxerga como realmente é, assim experimentaremos fé, esperança e amor.

© 2010 Alexandre Robles

 

 

Orar e andar! =)

Publicado: 09/12/2010 por Gezz em Como foi?

Olá Pessoas!

Vocês lembram da última casa Rosa? Bem para quem não estava a impressão que eu tive foi a de que esbarramos em nossa letargia como igreja, relevante na sociedade. E o Eduardo sugeriu um projeto “nosso”. E aí? Estamos orando por isso? Vamos comprar essa ideia…?!

Vamos orar para que Deus nos direcione aonde Ele já tem trabalhado!? Pois como filhos não devemos ser desobedientes, e devemos sempre perguntar ao Pai aonde ele nos quer. Que Deus nos oriente à ação.

 

“Ore como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você!”

Vi essa frase hoje, achei interessante, vale a reflexão, me lembrou de Filipenses 2: 12-13

“Ao orar, lembre-se de mover os pés!” Provérbio africano

Essa aqui eu vi em um filme se não me engano, chamado Hotel Ruanda.

Um abraço pessoas!

Fiquem na Paz!

Gessé Filho

…última de 2010!

Publicado: 27/11/2010 por edubcastro em Casa Rosa